Link para o conteúdo principal da página

Pular para o conteúdo [1]
ESCOLHA SUA REGIÃO VOCÊ ESTÁ EM:

SMS Pirata (SPAM)


Denuncie Ajude a combater essa prática ilegal!

Ao denunciar, você estará contribuindo para um melhor sinal de telefonia móvel, além de impedir abusos e violação de privacidade com o recebimento de mensagens indesejadas. Basta encaminhar o SMS pirata para o canal da denúncia 7726. A TIM confirma o recebimento da mensagem e pede o número que enviou o SMS suspeito. O canal de denúncias 7726 está disponível em todas as operadoras. Divulgue essa prática entre seus amigos e parentes.

A exploração indevida de rotas internacionais e de chipeiras para envio de mensagens de texto a preços abaixo da média do mercado caracteriza um SMS pirata. Um serviço sem garantia de qualidade e que serve como uma porta aberta para spams e fraudes.

A maioria das empresas acusadas de pirataria de SMS vende seus serviços pela Internet. Estima-se que o volume de SMS corporativo trafegado no Brasil por canais não certificados seria quase tão grande quanto aquele enviado por meios homologados, algo da ordem de 150 milhões de mensagens por mês.

O que atrai o cliente é geralmente o preço baixo. No SMS corporativo homologado, cada mensagem custa cerca de R$ 0,15 quando contratados volumes pequenos (leia-se poucos milhares) ou, no mínimo, R$ 0,05; quando superior a cinco milhões de SMS. Na maioria das vezes o cliente não sabe que está contratando SMS pirata, ele vê apenas o preço. É como comprar uma carga roubada.

Rotas Internacionais

Um dos caminhos usados pelas empresas não homologadas no Brasil é a compra de tráfego SMS no exterior. Há diversas empresas estrangeiras revendendo mensagens de texto no atacado, usando rotas internacionais. Elas se aproveitam de acordos de interconexão gratuita ou a preços muito baixos para tráfego entre usuários finais.

As mensagens fazem caminhos tortuosos para chegar ao seu destino, guiadas por algoritmos que indicam a rota mais barata. Se algum caminho é bloqueado, o sistema recalcula a rota automaticamente e reajusta o preço, se necessário. As rotas internacionais são infinitas, corta-se uma aparece outra.

É prática comum entre os piratas internacionais a falsificação do remetente para enganar os sistemas das operadoras por onde as mensagens passam. Outra artimanha consiste na variação sistemática do remetente, para dificultar a identificação da fraude. O SMS pirata, através de rotas internacionais, não oferece nenhuma garantia de entrega de mensagens. Estima-se que apenas de 30% a 40% delas efetivamente alcancem o seu destino.

Para combater o SMS pirata em rotas internacionais, as operadoras investem em filtros que alertam quando acontece uma movimentação atípica. O indício de algo está errado pode ser um grande volume de mensagens proveniente de um país pequeno em um curto espaço de tempo, ou muitas mensagens repetidas ou de um mesmo remetente. Para burlar esse controle os piratas procuram distribuir os envios entre várias rotas e ao longo do tempo. Outra técnica é usar rotas de grande tráfego, como a Brasil-EUA, o que dificulta a identificação.

Chipeiras

Outro método adotado pelos piratas consiste na adoção de chipeiras, equipamentos em que são instalados vários SIMcards para disparo simultâneo de mensagens. É fácil comprar uma chipeira pela Internet, o equipamento em si não é ilegal. Ele pode ser usado como um PABX por uma empresa para tráfego de mensagens entre funcionários. O problema é o uso da chipeira para venda do serviço de SMS corporativo aproveitando SIMcards de pessoas físicas e promoções de mensagens ilimitadas criadas pelas operadoras.

Os piratas compram chips pré-pagos das quatro grandes operadoras e botam todos na mesma chipeira. Com a ajuda de um software, disparam as mensagens. Dependendo do volume de SMS enviado em um curto espaço de tempo, uma chipeira pode causar congestionamento da rede em determinada antena. A prática fere o termo de serviço do contrato de pessoa física proposto pela operadora. Se esta perceber, pode bloquear o chip. Mas aí basta o pirata trocar por outro SIMcard.

Short code

Uma forma de identificar o uso de chiperia é se a mensagem for proveniente de um número telefônico completo, com DDD e oito ou nove dígitos. Quando prestado por empresas homologadas, é utilizado o chamado "short code", um número com apenas cinco dígitos e sem DDD.

As chipeiras vêm sendo usadas no Brasil para envio de spam publicitário e para tentativas de estelionato. São comuns mensagens sobre supostos sorteios de carros e casas nas quais se pede para o consumidor ligar de volta para um número de celular. Se ligar, a pessoa é instruída a fazer um depósito de baixo valor, apenas para trâmites burocráticos para liberação do prêmio. O problema é que não existe prêmio nenhum.

A TIM está atenta a possíveis fraudes em seus serviços de SMS, em linha com nossas premissas de qualidade e transparência no relacionamento com o cliente. Além disso, busca coibir o uso do SMS pirata divulgando as suas consequências, os prejuízos para todos os envolvidos legalmente no processo e denunciando casos identificados. Adicionalmente, a TIM atualiza e implanta constantemente em nossa rede novos equipamentos capazes de identificar o SMS de origem desconhecida ou duvidosa.

 

TIM NA REDE:

  • Twitter
  • Facebook
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin